Carregando o gráfico... (utiliza javascript)

Período Alteração do Dólar Alteração Percentual

Quanto valia 1 Bitcoin em 2009?

O Bitcoin não foi negociado em casas de câmbio em 2009. Seu primeiro preço registrado foi em 2010. Tecnicamente, o Bitcoin valia US $0 em 2009, durante o seu primeiro ano de existência!

Quanto valia 1 Bitcoin em 2010?

O preço do Bitcoin não superou US $1 em 2010! Seu preço mais alto no ano foi de apenas US $0,39!

O que determina o preço do Bitcoin?

Ao contrário das moedas fiduciárias, no entanto, não há preço oficial para o Bitcoin. Apenas várias médias baseadas nos preços em casas de câmbio globais. O Bitcoin Average e o CoinDesk são dois desses índices que relatam o preço médio. É normal que o Bitcoin seja negociado a um preço ligeiramente diferente da média nas casas de câmbio.

Mas, discrepâncias à parte, quais fatores determinam o preço do Bitcoin?

Oferta e Demanda

A resposta geral para “por que esse preço?” é “oferta e demanda.” A descoberta de preço ocorre no ponto de encontro entre a demanda dos compradores e o fornecimento dos vendedores. Adaptando esse modelo ao Bitcoin, a maioria da oferta é controlada por adotantes e mineiros mais antigos.

Oferta

Inspirado pela raridade do ouro, o Bitcoin foi projetado para ter um suprimento fixo de 21 milhões de moedas, com mais da metade desse valor já produzida.

Vários adotantes iniciais foram sábios ou sortudos o suficiente para ganhar, comprar ou minerar grandes quantidades de Bitcoin antes que ele tivesse um valor significativo. O mais famoso deles é o criador do Bitcoin, Satoshi Nakomoto. Acredita-se que Satoshi tenha um milhão de bitcoins, ou aproximadamente 4,75% da oferta total (de 21 milhões). Se Satoshi soltasse essas moedas no mercado, o excesso de oferta resultante faria o preço entrar em colapso. O mesmo vale para qualquer detentor de grandes quantidades. No entanto, qualquer indivíduo racional que procura maximizar seus ganhos distribuiria suas vendas ao longo do tempo, de modo a minimizar o impacto nos preços.

Atualmente, os mineradores produzem cerca de 3.600 bitcoins por dia, parte dos quais eles vendem para cobrir os custos com eletricidade e outras despesas comerciais. O custo de energia diária de toda a mineração é estimado em torno de US $500 mil. Dividir esse total pelo preço atual do BTCUSD fornece uma aproximação do número mínimo de bitcoins que os mineiros fornecem aos mercados diariamente.

Demanda

Com a atual recompensa de mineração de 25 BTC por solução de bloco, o fornecimento de Bitcoin está inflando cerca de 6,25% ao ano. Essa taxa irá diminuir acentuadamente em 2016, quando a próxima redução da recompensa acontecer. O preço do Bitcoin está aumentando apesar de uma inflação tão alta (e que aumentou no passado quando a recompensa foi de 50 BTC!), o que indica uma demanda extremamente forte. Todos os dias, os compradores absorvem as milhares de moedas oferecidas por mineiros e outros vendedores.

Uma maneira comum de avaliar a demanda de novos participantes no mercado é monitorar dados do Google Trends (de 2011 até o presente) para o termo de busca “Bitcoin.” Esse reflexo do interesse público tende a se correlacionar fortemente com o preço. Os altos níveis de interesse público podem exagerar a ação dos preços. As publicações na mídia sobre o aumento dos preços do Bitcoin atraem especuladores gananciosos e desinformados, criando um loop de feedback. Isso geralmente leva a uma bolha logo seguida de uma queda. O Bitcoin experimentou pelo menos dois desses ciclos e provavelmente passará por mais no futuro.

Gráfico gerado em Trading View.com

Geração de Interesse

Além dos especialistas inicialmente atraídos para o Bitcoin como uma solução para problemas técnicos, econômicos e políticos, o interesse do público em geral tem historicamente sido estimulado por bloqueios bancários e crises de moedas fiduciárias.

Bloqueios Bancários

Provavelmente, a primeira instância desse tipo foi o bloqueio bancário do WikiLeaks no final de 2010, quando VISA, MasterCard, Western Union e PayPal cessaram o processamento de doações para o WikiLeaks. Após um pedido de Satoshi, Julian Assange se absteve de aceitar Bitcoin até metade de 2011. No entanto, esse evento demonstrou o valor diferencial do Bitcoin como dinheiro eletrônico resistente à censura.

O bloqueio mais recente ocorreu quando MasterCard e VISA colocaram o Backpage.com em sua lista negra , um site parecido com o Craigslist que lista, entre outros, serviços para adultos. Os fornecedores de serviços para adultos, cujos meios de subsistência dependem de tais propagandas, não têm como pagá-las usando outra coisa além de Bitcoin.

Quando o assunto são negócios com os quais os bancos não se envolvem (abertamente), não há como evitar a menção dos mercados de drogas na darknet. Embora o mercado mais famoso (Silk Road) tenha sido fechado, o comércio de contrabandos por bitcoins continua intenso na darknet. Apesar de apenas 5% dos usuários britânicos terem admitido comprar narcóticos com Bitcoin, esse número provavelmente está subestimado por razões de risco legal. No fim das contas, a controvérsia midiática sobre os mercados da darknet provavelmente levou o Bitcoin ao conhecimento de muitos que, de outra forma, não o teriam conhecido.

Crises de Moedas Fiduciárias

Gráfico gerado em Trading View.com

Uma carteira Bitcoin pode ser muito mais segura do que uma conta bancária. Os cipriotas aprenderam isso de uma maneira difícil quando tiveram suas poupanças confiscadas no começo de 2013. Esse evento foi relatado como o causador de um aumento de preços, já que os poupadores repensaram os riscos relativos dos bancos em relação ao Bitcoin.

O próximo dominó a cair foi a Grécia, onde controles de capital rigorosos foram impostos em 2015. Os gregos foram submetidos a um limite de retirada diária de 60 €. O Bitcoin demonstrou novamente seu valor como dinheiro sem controle central.

Logo após a crise grega, a China começou a desvalorizar o Yuan. Conforme relatado na época, os poupadores chineses recorreram ao Bitcoin para proteger sua riqueza acumulada.

Gráfico Bitcoin de 2015 por Tyler Durden do Zero Hedge.

Uma influência positiva atual do preço do Bitcoin, ou de pelo menos sua percepção, é a situação argentina. O presidente recém-eleito da Argentina, Mauricio Macri, comprometeu-se a acabar com os controles de capital. Isso eliminaria a grande disparidade entre as taxas de câmbio oficiais e as do mercado negro entre o dólar e o peso argentino. Os argentinos que podem comprar bitcoins usando dólares do mercado negro provavelmente evitarão perdas financeiras consideráveis.

Manipulação do Mercado

Nenhuma discussão sobre o preço do Bitcoin seria completa sem mencionar o papel que a manipulação do mercado desempenha na adição à volatilidade dos preços. A alta histórica do Bitcoin acima de US$ 1000 foi parcialmente impulsionada por algoritmos de negociação automatizados, ou "bots", que funcionavam na casa de câmbio Mt. Gox. Todas as evidências sugerem que esses bots estavam operando de forma fraudulenta sob a direção do operador de câmbio Mark Karpeles, subindo o preço com fundos fantasma.

A Mt. Gox foi a principal casa de câmbio de Bitcoin na época e a incontestável líder de mercado. Hoje em dia, há muitas casas de câmbio grandes, então uma única troca agindo mal não causaria um efeito tão grande no preço.

Principais Riscos de Baixa

É preciso repetir que o Bitcoin é um projeto experimental e, como tal, um ativo altamente arriscado. Há muitos influenciadores negativos de preço, sendo o principal deles o risco legislativo de um governo importante proibir ou restringir os negócios de Bitcoin. O risco de a rede Bitcoin seguir diferentes caminhos de desenvolvimento também é algo que pode prejudicar o preço. Finalmente, o surgimento de um competidor credível, talvez com o apoio de grandes bancos (centrais), poderia fazer com que o Bitcoin perdesse parte do mercado no futuro.

Discrepâncias de Preço

Às vezes, o preço de uma casa de câmbio pode ser completamente diferente do preço de consenso, como aconteceu durante um período na Mt. Gox antes de sua falha e recentemente na casa de câmbio Gemini, de Winklevoss.

Em meados de novembro de 2015, o BTCUSD atingiu US$ 2200 na Gemini enquanto ele era negociado a cerca de US$ 330 em outras casas de câmbio. As negociações foram posteriormente revertidas. Tais eventos ocorrem ocasionalmente em casas de câmbio, seja por erro humano ou de software.

O Bitcoin vale, em última análise, o preço pelo qual as pessoas o compram e o vendem. Isso é muitas vezes tanto uma questão de psicologia humana quanto de cálculos econômicos. Não permita que suas emoções ditem suas ações no mercado. Isso é melhor alcançado ao se determinar uma estratégia e aderir a ela.

Se o seu objetivo é acumular Bitcoin, um bom método é reservar uma soma fixa e adequada a cada mês para comprar bitcoins, independentemente do preço. Ao longo do tempo, essa estratégia (conhecida como média de custo do dólar), permitirá que você acumule bitcoins a um preço médio decente, sem o estresse de tentar prever as oscilações às vezes bruscas do preço do Bitcoin.